Uma carta.

Para o menino do boné que pulsa em meu coração.

A luz do abajur ilumina nosso porta-retrato preto e branco. A fotografia intacta me remete a um passado cinza e ao mesmo tempo colorido, passado no qual não nos pertencíamos. Mas é esse tempo que agora aconchega meu coração.Suspiro e sou capaz de te sentir perto...
Confesso que procuro lembrar apenas dos doces sabores passados, do teu cheiro agridoce grudado em minha blusa, do teu corpo quente me protegendo e da umidade dos teus lábios tocando os meus ainda tão surpresos.
Às vezes há um gosto de saudade no ar quando olho para foto, talvez o amargo do medo que uma novidade trás, tão saboroso este quando começa o amor. Recordo-me com tanta perfeição que posso sentir o quanto desejei tudo que hoje tenho. E lhe digo com todas as palavras, sem nada a esconder o quanto é bom te ter por perto. Sentir que hoje nos pertencemos. E que há tempos mergulhei em teu ser, tendo em mim um pouco do teu reflexo.
E aquela canção que há tempos cantaste para mim, enche meus ouvidos de prazer e de saudade. Sabe... não temo mais o futuro, o teu sorriso o afugentou,não choverá dores nem lágrimas,prometo... só preciso ouvir o teu respirar e saber que o seu coração pulsa tão forte quanto o meu. Vês? Tamanho és o meu amor que poderia viver apenas com o sussurro das tuas doces palavras.


3 comentários:

Paula disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marco A. disse...

Oi Ulli, descobri seu blog através da divulgação de blogs do orkut, o qual retornei a pouco tempo, gostei bastante de suas páginas e da forma com a qual escreve; estarei lhe acompanhando.

Abraços Marco

Isadora disse...

nossa, amei o texto. realmente, é um amor muito grande. nada com um bom amor, pra acalmar o coração, e melhorar a vida. só quem ama, sabe como é bom amar.
amei o blog, beijo!
ah, passa la no meu ;) hihi