Segredos em silêncio



É que tenho disso, de observar sem dizer nada. Na verdade é que meus olhos gostam da lentidão, de apreciar devagar cada imagem, petrificar os instantes e os meus pensamentos são rápidos demais, inconstantes talvez. Não venhas me dizer, é incoerente, eu sei. Poderia enquadrar-me entre os seres mergulhados em reflexos e borrões. Além do mais, nem todas as imagens da mente são nítidas, 'vezenquando' elas se misturam com os pensamentos e se confundem, se difundem e eu nem sei mais o que são ao certo. Eu poderia ser também a sonhadora, apaixona e poetiza. Não que eu saiba realmente poetizar, eu só faço enxergar a poesia nas entrelinhas vida, observar sem dizer nada. Até a poeira do dia vira letra cinza no papel, outras vezes é a angustia do papel branco e intacto que faz fluir... mas na verdade ninguém entende. Ainda me questionam e vão questionar:

- O que vêem os olhos em silêncio?


Um comentário:

César disse...

Olá. Eu conheci uma banda polonêsa chamada IRA. Eu adoro o som deles. Teu texto me fez lembrar um som deles... "Nie szukam jej"...
bem..nao sei exatamente o motivo..
talvez os tais olhos em silencio
abraço